11/23/2016 0h0
Combate ao Câncer
E-mail

27 de novembro: Dia Nacional de Combate ao Câncer

Com a proximidade do Dia Nacional de Combate ao Câncer, o Seconci-SP chama atenção para dados alarmantes sobre a doença que, no Brasil, já é a segunda causa de morte, atrás apenas das do aparelho circulatório. Diante desse quadro, o urologista da entidade, Paulo Fischer, alerta para os casos de câncer de pênis no País, que representam aproximadamente 2% dos tumores malignos dos homens. “Apesar de raro, este tumor está relacionado às baixas condições socioeconômicas e de nutrição, à má higiene íntima, tabagismo e doenças sexualmente transmissíveis (principalmente infecção pelo HPV)”, explica.

Sintomas

De acordo com o dr. Fischer, dores não são frequentes no início da doença. É comum o aparecimento de uma ferida avermelhada ou de um pequeno nódulo na glande, no prepúcio ou no corpo do pênis. Outros sintomas são manchas esbranquiçadas ou perda de pigmentação na glande, presença de esmegma (substância esbranquiçada secretada pelo pênis) com cheiro forte e de gânglios inguinais inchados na virilha.

Tratamento

Nas lesões iniciais, o tumor e uma pequena parte dos tecidos ao redor podem ser removidos cirurgicamente ou por ressecção a laser. A remoção completa do pênis e dos gânglios inguinais só é indicada nas fases mais avançadas da doença.

Como prevenção, o médico recomenda sempre o autoexame para localizar lesões, higiene diária, uso de preservativo nas relações sexuais e visita ao médico se notar qualquer alteração no pênis.