6/25/2019 0h0
Doar sangue
E-mail

Uma doação de sangue pode salvar até quatro vidas
A Organização Mundial da Saúde recomenda que o número de doadores de sangue em cada país fique entre 3% e 5% da população. Porém, no Brasil, apenas 1,8% das pessoas doam sangue regularmente, de acordo com o Ministério da Saúde. Diante disso, o Seconci-SP aproveita a celebração do Dia Mundial do Doador de Sangue no último dia 14 de junho, para esclarecer as principais dúvidas sobre o procedimento. 
    Segundo o gerente da área de Medicina Ambulatorial do Seconci-SP, Horácio Cardoso Salles, o corpo humano adulto possui cerca de 5 litros de sangue e, quando a pessoa realiza a doação, são retirados apenas 450 ml. Ou seja, menos de 10% do total existente no corpo. “Muitos imaginam a retirada de uma quantidade maior, o que não é verdade”, destaca. 
    De acordo com o médico, é comum as pessoas doarem apenas quando um familiar está precisando. Mas considerando que uma única bolsa de sangue pode salvar até quatro vidas, o ideal seria as pessoas doarem com regularidade, para evitar o baixo nível dos estoques dos hemocentros. 
    Qualquer pessoa entre 16 e 69 anos pode doar sangue. Para os menores de 18 anos, é necessário o consentimento dos responsáveis e, entre 60 e 69 anos, a pessoa só poderá doar se já o tiver feito antes dos 60 anos. Além disso, o doador precisa ter mais de 50 quilos, estar alimentado e ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas antes do procedimento. 
    Os homens podem doar sangue até quatro vezes por ano, com intervalo de 60 dias entre cada doação. Já as mulheres até três vezes ao ano, com intervalo de 90 dias. “Muitas trabalhadoras ficam em dúvida se podem realizar o procedimento durante o período menstrual, mas não existe impedimento à doação. O que determinará a possibilidade ou não de doar é o teste de anemia realizado em todos os doadores durante a triagem dos hemocentros no dia da doação”, explica o médico.    
    O dr. Salles relaciona outras situações que impedem a doação de sangue: ter contraído gripe ou resfriado nos últimos 7 dias; ingerir bebidas alcoólicas nas 24 horas que antecedem o procedimento; ter realizado tatuagens ou colocado piercing nos últimos 6 meses; viajar para regiões com surto de febre amarela nos últimos 30 dias e mulheres que estão em período de gravidez ou amamentação. 
    Após a doação, de acordo com o médico, o trabalhador deve fazer um repouso de 15 minutos para evitar mal-estar, e beber bastante líquido. Além disso, é importante evitar esforço físico exagerado por até 12 horas, especialmente com o braço utilizado na doação.