3/1/2019 0h0
Evite a “ressaca”
E-mail

É possível divertir-se no Carnaval de forma saudável e não ficar de “ressaca”. O dr. Moacir Augusto Dias, clínico geral e gastroenterologista do Seconci-SP, recomenda em primeiro lugar beber com moderação. Mesmo bebidas com baixo teor alcoólico podem embriagar, quando ingeridas em grande quantidade.
    O médico observa que algumas atitudes ajudam a reduzir os efeitos do álcool no organismo. “Estar bem alimentado antes de começar a beber, hidratar-se e intercalar o consumo de água e álcool auxiliam”, diz. 
    “Comidas ricas em gordura, como o bacon, também ajudam a diminuir a absorção do álcool pelo sangue. Por isso, podem ser uma boa opção antes da folia, desde que consumidas com parcimônia”, explica o dr. Dias.  
    O gastroenterologista adverte que bebidas alcoólicas associadas a drogas ilícitas e outras substâncias podem causar surtos psicóticos e até estado de coma. De acordo com o dr. Dias, o ideal é que as pessoas não misturem e evitem consumir itens oferecidos por pessoas desconhecidas. 

Pós-Carnaval
    O médico explica que o corpo humano consegue metabolizar até 8,5 gramas de álcool por hora, o que equivale a uma lata de cerveja ou uma taça de vinho. Por este motivo, os efeitos destas substâncias podem demorar até 24 horas para sumirem do organismo. 
    Por isso, o dr. Dias destaca a importância de se evitar os sintomas da “ressaca” como a dor de cabeça, tonturas, náuseas e vômitos, dor de estômago, boca seca etc.
    “Neste processo, o repouso e a ingestão de bastante água são fundamentais, pois ajudam o corpo a metabolizar o álcool e repor o sódio e líquidos perdidos na transpiração e urina. O consumo de sucos de limão, laranja, melancia ou tomate; isotônicos e água de coco são excelentes opções de bebidas para ajudar na hidratação do corpo”, recomenda o médico. 
    Alguns alimentos também são importantes aliados para a recuperação da “ressaca”, como a banana, rica em potássio; o ovo, que possui vitaminas do complexo B e ajudam a diminuir a dor de cabeça; os derivados do leite; os carboidratos, como pães, macarrão, bolos; e as frutas e legumes em geral.
    O médico recorda que a bebida é inimiga da direção: “programe o deslocamento de forma consciente e segura para evitar riscos ao condutor e pedestres”, finaliza.