12/28/2020 0h0
Perda auditiva induzida por ruído
E-mail

Perda auditiva induzida por ruído, um problema que pode ser evitado

O Dia do Fonaudiólogo é celebrado em 9 de dezembro. Aproveitando a data, a fonoaudióloga do Seconci-SP, Adriana Abrahão Ribeiro, destaca um problema relativamente comum no setor da construção civil, onde os trabalhadores estão mais expostos a ruídos ambientais e vibrações que podem afetar os canais auditivos: a Perda Auditiva Induzida por Ruído (Pair) ou Perda Auditiva Induzida por Níveis de Pressão Sonora Elevados (PAINPSE).
    Caracterizada pela diminuição gradual da acuidade auditiva, devido à exposição continuada a níveis elevados de pressão sonora, essa doença exige especial atenção, mas pode ser evitada. 
    “A Pair ou PAINPSE configura-se como um dano provocado pela exposição ao fator físico ruído e tem como marcas a irreversibilidade e a progressão gradual, conforme o tempo de exposição ao ruído”, explica a especialista.    
    Entre os principais sintomas estão zumbido no ouvido, dificuldade na compreensão da fala, tonturas e dores de cabeça frequentes, alterações no sono, intolerância a sons intensos e incapacidade de identificar a origem das fontes sonoras. Se a pessoa tiver um ou mais desses sinais, o recomendado é procurar atendimento médico.
    De acordo com a fonoaudióloga, a audiometria é o exame inicial para avaliar a audição do paciente. Mas podem ser solicitados outros, como a imitanciometria, e exames complementares, como o de Potencial Evocado Auditivo do Tronco Encefálico.
    Este exame objetiva avaliar a integridade funcional das vias auditivas nervosas, desde a orelha interna até o córtex cerebral. Com ele, é possível determinar se existe ou não perda auditiva, assim como precisar seu tipo e grau. 
    Adriana ressalta que a perda auditiva induzida por ruído pode ser evitada. “No âmbito da construção civil, o maior aliado é o uso dos Equipamentos de Proteção Individual, os EPIs. Para aqueles trabalhadores, cuja função oferece riscos ambientais relacionados à audição, é obrigatório o uso de protetores auriculares ou abafadores de ruído durante a jornada de trabalho.”
    Entretanto, não basta oferecer os EPIs para as equipes. Os funcionários têm de ser treinados para que façam o seu uso correto, e os itens precisam ter qualidade comprovada, para que possam cumprir seu papel, o que pode ser assegurado pelos Certificados de Aprovação. Conservação Auditiva
    O mais indicado é que todas as construtoras tenham iniciativas que acompanhem e avaliem a saúde auditiva dos seus funcionários. Para isso, o Seconci-SP oferece o Programa de Conservação Auditiva (PCA), em que os trabalhadores são acompanhados por fonoaudiólogo.
    Além dos exames audiométricos periódicos, o PCA também inclui verificações regulares para a detecção de novos casos e acompanha a evolução daqueles que foram diagnosticados com perda na audição.
    O PCA elaborado pelo  Seconci-SP tem como foco tanto a prevenção, com a identificação dos agentes ambientais prejudiciais à saúde auditiva, como o acompanhamento dos trabalhadores durante toda a obra, por meio do sistema de dosimetria.
    Com o auxílio de um aparelho eletrônico, o decibelímetro, é possível fazer a medição do nível de ruído ao longo da jornada de trabalho, o que irá pautar a adoção de medidas de prevenção.