3/18/2021 0h0
Saúde bucal na pandemia
E-mail

A higiene bucal é sempre importante e não se deve descuidá-la em tempos de Covid-19. A recomendação é do dr. João Carlos Mileo, cirurgião dentista do Seconci-SP, por ocasião do Dia Mundial da Saúde Bucal, que será celebrado em 20 de março.
    “Na pandemia, as pessoas ficam mais tempo em casa e diante das telas, comendo entre refeições e tomando refrigerantes sem cuidado com a higiene bucal, o que aumenta a prevalência de cáries”, alerta o dentista.
    De acordo com o dr. Mileo, a escovação deve ser feita três vezes ao dia, seguida de uso de fio dental e 
bochechos de enxaguante bucal. Basta colocar na escova a quantidade de pasta de dente equivalente a uma ervilha.    
    A limpeza deve ser feita demoradamente e com calma, posicionando a escova em ângulo de 45 graus entre a gengiva e os dentes, tracionando-a para baixo nos dentes superiores e para cima nos inferiores, ou em movimento circulares.
    A escova deve ter cerdas macias e ser trocada quando estas começarem a deformar, preferencialmente a cada três, quatro meses. Em locais onde a água é fluoretada, como em São Paulo, não há necessidade de usar pasta com flúor. Além disso, deve-se visitar o dentista a cada seis meses.
Cuidados nas obras
    Na higiene bucal no canteiro de obras, o trabalhador deve tirar a máscara, lavar bem as mãos e aí sim pegar a escova e a pasta de dentes, guardando-as ao final em um estojo.
    O dr. Mileo também chama a atenção para a importância de bons hábitos, evitando o álcool e o fumo.             “Mantendo a saúde bucal, evitam-se infecções e até patologias como diabetes, anemia e endocardite bacteriana, pela qual bactérias presentes na boca entram na corrente sanguínea e atingem a válvula do coração.”
    O dentista ainda recomenda cuidados preventivos nas relações íntimas, para evitar a incidência do papiloma vírus humano (HPV), nome genérico de um grupo de vírus que engloba mais de cem tipos diferentes e pode provocar a formação de verrugas na pele e nas regiões oral (lábios, boca, cordas vocais etc.). Vacinar-se contra o HPV é a medida mais eficaz para se prevenir contra a infecção. A vacina é distribuída gratuitamente pelo SUS.