6/12/2019 0h0
Saúde da mulher
E-mail

Uma a cada seis mulheres poderão ter câncer ao longo da vida, segundo a Agência Internacional para a Pesquisa do Câncer. Diante deste dado, a dra. Maria Eugênia de Cássia Lopes Cardoso, ginecologista do Seconci-SP, recomenda a realização de consulta ginecológica no mínimo uma vez por ano. 
    Segundo a médica, os dois exames preventivos mais importantes são o Papanicolau (para detectar câncer de útero), e a Mamografia (câncer do seio).  Se diagnosticada a doença em seu início, há grande chance de cura, na maioria dos casos. 
    No caso do Papanicolau, a recomendação é fazer dois exames seguidos no intervalo de um ano nas mulheres a partir dos 25 anos e, em caso de resultados negativos, mantidos como rotina a cada 3 anos, até os 64 anos. 
    “Já a mamografia precisa ser realizada anualmente a partir dos 40 anos e, quando a paciente tem histórico de câncer de mama na família, o rastreio pode começar antes mesmo dessa idade”, comenta a dra. Maria Eugênia.     
    A ginecologista destaca que é muito importante a população ficar atenta também às campanhas de vacinação, como a do HPV. Esta vacina é aplicada em duas doses e previne o Papilomavírus Humano, responsável pelo câncer de colo do útero. Neste caso, a indicação é a vacinação da mulher a partir dos 9 anos. 
    Segundo a dra. Maria Eugênia, nem sempre corrimentos na vagina significam enfermidades. “Esta região da mulher é naturalmente lubrificada e um corrimento associado à doença geralmente aparece acompanhado de outros sintomas, como um forte odor e coceira”, explica. 
    O ideal é que a mulher consulte o médico caso perceba qualquer alteração ou desconforto e evite sempre a automedicação. Para uma boa higiene íntima, o recomendável é o sabonete de glicerina, e para higienização das roupas íntimas, o sabão de coco.
    Para as mulheres entre os 40 e 55 anos, idade média de início da menopausa, a mudança de hábitos alimentares pode ser uma ótima aliada, associada à prática de atividade física, no combate dos sintomas comuns nesta fase, como os famosos “calorões”, na prevenção de doenças do coração e de osteoporose.