4/9/2014 0h0
Seconci-SP alerta sobre a importância da rápida notificação em caso de suspeita da febre chicungunha
E-mail
O  Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo divulgou  recentemente nota sobre a febre do chicungunha, enfermidade semelhante à dengue, mas com sintomas que podem durar até um ano. Só em 2014, 20 casos da doença foram confirmados no Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde. Diante deste cenário, o Seconci-SP ressalta a importância da rápida notificação dos casos, mesmo que suspeitos. "Os médicos devem notificar a doença em menos de 24 horas para as Secretarias Municipal e Estadual de Saúde e também para o Ministério da Saúde, pelo e-mail notifica@saude.sp.gov.brou pelo telefone 0800-555466", alerta a gerente médica ocupacional do Seconci-SP, Dra. Xiomara Salvetti. Todas as infecções confirmadas no Brasil foram contraídas fora do País, em regiões onde há a presença do vírus que causa a doença. O caso mais recente foi confirmado no dia 19 de agosto pelo Laboratório Central do Amapá, de um menino brasileiro de 13 anos que mora na Guiana Francesa e passava férias no município de Santana (AP). Dra. Xiomara Salvetti explica que o significado do termo Chikungunya é “aquele que se dobra”, no idioma africano makone, e se refere à postura em que o paciente costuma ficar diante das fortes dores nas articulações que a doença causa. A médica esclarece algumas das principais dúvidas sobre a enfermidade, conforme perguntas e respostas a seguir. Quais são os principais sintomas da febre chicungunha? Os sinais aparecem entre quatro e oito dias após a picada do mosquito infectado. Entre eles está a febre repentina, com dores nas articulações, principalmente nos tornozelos, pulsos e articulações das mãos, dor de cabeça, dor muscular, náusea, vômitos, manchas vermelhas na pele e conjuntivite. O principal sintoma são as dores intensas nas articulações. Diferente da dengue, uma parcela das pessoas infectadas pode desenvolver a forma crônica da doença, com a permanência dos sintomas, que podem durar entre seis meses e um ano. Como acontece a transmissão? O vírus Chikungunya (CHIKV) é transmitido pela picada de mosquitos do gênero Aedes: A.aegypti e A. Albopictus, que também são transmissores da dengue. Como é feito o diagnóstico? O diagnóstico é feito com amostras de sangue em laboratórios de referência nacional. Existe tratamento? Não existe tratamento capaz de curar a doença. Com uso de analgésicos e antipiréticos, o tratamento é paliativo somente para aliviar os sintomas. Caso as dores articulares continuem e forem muito dolorosas, uma alternativa médica é o uso de corticoides. Para a forma hemorrágica da infecção por chicungunha, mesmo que haja poucos riscos, recomenda-se evitar o uso de medicamentos à base de ácido acetilsalicílico nos primeiros dias de sintomas, antes do diagnóstico definitivo.