Janeiro Branco: cuidar da saúde mental

Criada em 2014, a campanha Janeiro Branco é dedicada aos cuidados com a saúde mental e emocional, reforçando a importância da reflexão e da conscientização sobre esta questão. O tema deste ano é: “A vida pede equilíbrio”. Na opinião da psiquiatra do Seconci-SP, dra. Amara Alice Darros, manter o equilíbrio é de fato fundamental, pois os excessos podem comprometer a saúde física e emocional.

“Alguns problemas orgânicos, como alterações na tireoide, diabetes e pressão arterial alta, quando não controlados, podem afetar o estado emocional. Por isso, a primeira recomendação é a pessoa se observar, para discernir se há alguma alteração significativa de comportamento, que pode vir acompanhada de sintomas como batimentos cardíacos acelerados, náusea, diarreia e sensação de sufocamento”.

Frente a isso, o indicado é procurar um clínico geral, que poderá avaliar se há problemas físicos ou não e, dependendo do caso, encaminhar para um especialista em saúde mental.

Preconceito injustificado

“Mas, infelizmente, ainda há muito preconceito, de que o psiquiatra seria ‘médico de louco’, que os remédios viciariam e fariam a pessoa dormir o dia todo e outras informações equivocadas desse tipo. O problema é que com isso vemos pessoas sofrendo com ansiedade, depressão, medo excessivo, crises de choro sem motivo aparente e não procuram ajuda especializada. A psiquiatria, assim como os medicamentos, evoluiu muito”, afirma dra. Amara.

O pior é que esses quadros acabam comprometendo as ações cotidianas sociais e profissionais, deixando a pessoa paralisada e interferindo na tomada de decisões. “O ideal é usar a razão associada à emoção. Porém o desajuste, a falta de equilíbrio, não vai permitir que a pessoa reflita com clareza e pode chegar a tomar atitudes, de que venha se arrepender no futuro.”

A dra. Amara ressalta a importância de se adotar hábitos saudáveis, como uma alimentação equilibrada, ter momentos de lazer, cultivar bons relacionamentos com a família e amigos, praticar exercícios físicos regularmente, ter horário para dormir e acordar e evitar o consumo exagerado de bebidas alcoólicas.

Se houver necessidade de ajuda especializada, o Seconci-SP oferece atendimento com psicólogo e psiquiatra, na sua sede na capital paulista e via teleconsulta para todas as suas Unidades no Estado de São Paulo. “Temos também rodas de conversas em um encontro mensal. O Grupo Social de Apoio é formado por equipe multidisciplinar, da qual faz parte psicólogo, psiquiatra e assistente social, e tem como foco a psicoeducação, orientação, reflexão e informação”, explica a dra. Amara e acrescenta: “Quem cuida da mente, cuida da vida”.

Compartilhe

Relacionados