Imunização contra a Covid precisa estar completa

Neste início do ano, as empresas devem orientar seus colaboradores a completarem as doses da vacinação contra a Covid, caso estes não o tenham feito. A recomendação é do dr. Anaximandro Ricardo Mouro, clínico do SESMT (Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho) do Seconci-SP (Serviço Social da Construção), ao alertar que 1 em cada 9 pessoas infectadas, com o esquema vacinal incompleto, evolui para um caso grave.

“Além disso, os funcionários devem ser orientados a continuar a usar corretamente máscaras nos transportes públicos e quando necessário, trocá-las regularmente, manter a higiene das mãos, deixar os ambientes ventilados, evitar aglomerações e reduzir ao máximo o contato próximo com muitas pessoas, principalmente em espaços fechados”, prossegue o médico.

Há surtos da doença em vários países e regiões do planeta. “Até 27 de dezembro último, foram notificadas 6.680.494 mortes no mundo, atribuídas à Covid, o que torna este flagelo um dos piores da história da humanidade. Na Unidade Central do Seconci-SP, não registramos novos casos da doença entre agosto e outubro. A dispensa da obrigatoriedade do uso de máscaras no transporte público (que só foi restabelecida em novembro no Estado) e o relaxamento das medidas de segurança contribuíram para o reaparecimento de 25 novos casos confirmados de Covid nos dois últimos meses de 2022, aqui na Unidade Central.”

O dr. Mouro também destaca a importância de os colaboradores com sintomas gripais serem orientados a procurar atendimento médico preferencialmente no início do horário de trabalho, “pois a avaliação médica em caso de suspeita de Covid é fundamental para o bloqueio da transmissão e o controle da doença”.

O médico ainda salienta que estas providências devem acompanhar os demais cuidados nos canteiros de obras, como o uso correto dos EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e demais medidas para resguardar a saúde e segurança do trabalho.

Outras vacinas

O momento é oportuno para que os colaboradores e seus filhos também providenciem a imunização contra outras doenças, como sarampo e poliomielite, recomenda Gisele Santana Moreira, enfermeira do Trabalho do Seconci-SP.

“A vacinação contra essas e outras doenças tem se reduzido nos últimos anos, e as que estavam erradicadas agora ameaçam voltar. Crianças e adultos precisam estar com seus esquemas vacinais em dia”, ressalta Gisele.

De acordo com a enfermeira do Trabalho, se o adulto não sabe se deve tomar esta ou aquela vacina, ou se perdeu sua carteira de vacinação, deve procurar a unidade básica de saúde onde se vacinou. Se esta não tiver mais o registro de sua imunização, irá providenciar um novo esquema vacinal. “A pessoa pode então se vacinar tranquilamente com os imunizantes prescritos, sem problemas.”

O dr. Mouro reforça a necessidade da vacinação. “A pessoa não deve pensar somente em si. Precisa saber que, ao se infectar, ela também pode transmitir a doença para os outros. Com a união de todos, respeito pelas medidas sanitárias de segurança e a responsabilidade em realizar esquema completo de vacinação, vamos terminar com a pandemia, evitar a volta de outras doenças e retornar à normalidade segura de nossas vidas.”

Compartilhe

Relacionados