Governador lança programa oncológico em AME administrado pelo Seconci-SP

O governador Rodrigo Garcia escolheu o Ambulatório Médico de Especialidades (AME) Barradas, administrado pelo Seconci-SP, para lançar, em 22 de junho, o programa AME Oncologia. Garcia foi recebido por Maristela Honda, presidente do Seconci-SP.

“O Seconci-SP é um dos primeiros prestadores de serviço como OSS (Organização Social de Saúde). Na época, quando foram criadas as OSSs durante o governo Mario Covas, eu era deputado estadual. Esse foi um dos grandes acertos do governo de São Paulo. Sem a figura das OSSs, o Estado não conseguiria ter esse desempenho na saúde. São 62 AMEs e 103 hospitais sob a gestão de Organizações Sociais de Saúde”, afirmou o governador.

Segundo Garcia, “a criação dos AMEs foi outra decisão acertada do governo de São Paulo. A primeira grande transformação na estrutura dos ambulatórios foi a implantação do Hospital Dia. A segunda grande transformação é o lançamento agora do AME Oncologia. Temos um AME mais completo e com menor tempo para acesso ao diagnóstico e tratamento do câncer”, completou.

O novo programa vai oferecer diagnóstico e tratamento contra o câncer de pele e de intestino nos ambulatórios. Neste início, serão cinco AMEs no Estado fazendo a quimioterapia, entre eles o Taubaté, também administrado pelo Seconci-SP. O conjunto dos outros AMEs oferecerá consultas, exames, diagnósticos e cirurgias. O AME Barradas já presta atendimento a pacientes com câncer de pele.

Agilizar o tratamento

De acordo com Jean Gorinchteyn, secretário de Estado da Saúde, o governo estadual colocou em prática o Corujão da Oncologia em setembro de 2021, para dar vazão à demanda de 200 mil pessoas que aguardavam exames como ressonância magnética, cintilografia e biópsias.

“Porém, a população precisa de ainda mais: cirurgias e quimioterapias. Daí surgiu a proposta de usar as estruturas dos ambulatórios para isso. Cinco AMEs no Estado – Dracena, Itapetininga, Mogi das Cruzes, Santo André e Taubaté – irão realizar infusão de quimioterapia, totalizando 20 mil novas sessões de quimioterapia/ano”, afirmou o secretário.

Os dois tipos mais prevalentes são os tumores de pele e de intestino. O programa definiu novos protocolos de atendimento visando a redução da jornada do paciente, entre o diagnóstico e o tratamento. Assim, 61 AMEs estarão voltados para o câncer de pele e 39 deles, também para o de intestino. “São frentes emergenciais, porque a doença oncológica não pode esperar”.

O lançamento do programa ainda contou com as presenças do deputado estadual Thiago Auricchio e da coordenadora do Programa de Oncologia da Secretaria de Estado da Saúde, Sonia Alves.

Veja os vídeos:

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

Relacionados